Os moralistas do FB. (Porque há coisas… e coisas!)

 

Este dia, cinzento, chuvoso, é propício para os falsos moralistas da rede social atacarem com recados preciosos.

Esta não é a vertente que mais aprecio nas redes sociais, a forma leviana com que as pessoas escrevem ou postam uma imagem, para espalhar um pouco da sua magia epicamente correcta.

Passo a explicar:

Há momentos bons e outros menos bons (faz parte), e que atire a primeira pedra quem não os tem, faz parte da condição humana. Muitas vezes leio desabafos próprios e normais de quem não está no êxtase da felicidade, e logo a seguir comentários ou imagens que não vêm a propósito. Porque nada é comparável.

Exemplo prático: Hoje, uma amiga, após um desabafo próprio de que as coisas não estão a correr de feição, recebeu em troca imediata uma imagem de crianças subnutridas.

Ora bem, haja algum bom-senso, ou pelo menos senso comum!

Claro que o facto de não nos sentirmos às mil maravilhas, em nada se compara com situações verdadeiramente dramáticas que se vivem nos dias que correm. São duas coisas, distintas, ok?!

Também a mim já me aconteceu… um infeliz desabafo referente a uma semana de trabalho verdadeiramente extenuante e pimba! Levei logo com todo o tipo de comentários: – Que há quem esteja muito pior, de que tenho sorte em ter trabalho, etc.

Senhoras e senhores, infelizmente todos nós temos conhecimento da dura realidade e quem nos dera poder atenuar tanta injustiça, mas não é o vosso dedo acusatório e de censura a melhor forma de compreensão para certos momentos.

Pois… eles “andam aí”, a espiar e logo que mostras um momento de alguma fra(n)queza, atacam carregados de uma “suposta” e adulterada misericórdia.

 

 

 

 

 

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>