Pontos nos is: UP BLOG

 

 

 

1. Quando é que decidiu lançar o blog Raquel Prates e porquê? Quais eram os objectivos?

Decidi lançar o blog na sequência de várias solicitações que me fizeram e também pela minha vontade e gosto de partilhar. Todas as minhas actividades profissionais tiveram sempre implícitas a comunicação e quando me começaram a pedir a opinião sobre os mais diversos temas, achei que faria sentido responder a esses pedidos. Foi assim que nasceu o blog, de uma forma natural, o objectivo sempre foi falar e promover as coisas que mais gosto.

 

 

2. Como define o seu blog, o que é que o distingue? Quem quiser ler o Raquel Prates, encontra o quê?

Nunca ninguém me tinha feito essa pergunta, acho que defino o meu Blog como uma extensão de mim própria. É o meu olhar sobre tudo o que me chama a atenção, tentando sempre privilegiar as vertentes em que sinto mais à vontade e que me são mais próximas. Nesse sentido, todo o blog é muito à minha imagem e penso que será esse o maior factor de diferenciação dos outros Blog´s. Quem quiser ler o meu Blog, encontra-me, a mim e à minha visão sobre vários assuntos, uns mais transversais à nossa sociedade como é o caso da arte e da moda e outros mais pessoais como o life concept.

 

 

3. Como é que a Raquel gere o seu blog? Quando é que escreve, como escolhe os temas, fotos, etc?

Faço a gestão conforme a minha disposição e os assuntos que acho ou considero que devem ser abordados. Independentemente do motivo. Desde uma vertente mais “light” a crónicas que posso considerar mais pessoais e críticas. Toda a estética (imagens etc) é da minha responsabilidade e por norma escrevo à noite. Talvez por ser boa conselheira (risos).

 

4. Numa sociedade dominada pelas redes sociais, porquê esta aposta num blogue? Quais as vantagens?

Existe a vertente de utilizar as redes sociais como alavanca para o blog. E honestamente não me oferecem o suficiente para comunicar na forma que pretendo. Gosto de partilhar não só a mensagem implícita, como a mensagem explicita (exemplo das imagens).

A aposta foi por uma vontade de partilha e também porque sou uma entusiasta da comunicação, das novas tecnologias e fenómenos sociais.

Quando as solicitações começaram a ser recorrentes, achei que fazia todo o sentido dar respostas às pessoas que valorizavam a minha opinião. Acho mesmo que essa é a principal vantagem, respeitar quem me acompanha e ajudar na medida em que me for possível ajudar.

 

 

5. Vê o seu blog como uma marca/negócio? Porquê? E como é que esta marca é gerida?

O meu Blog foi crescendo, não o vejo como um negócio mas sim como uma marca, talvez a minha marca. É claro que assim que começou a ganhar outra dimensão e que passou a ser necessário despender muito mais tempo, também começaram a existir marcas e produtos que se quiseram associar à marca, pois o Blog é tão pessoal que é inevitável a associação directa comigo.

Procuro sempre ir de encontro ao que me pedem e ao que considero que possa ser de maior utilidade. Estas são as maiores directrizes que tenho em conta na gestão do Blog.

 

 

6. Que vantagens é que o blog trouxe à sua vida enquanto profissional?

 Proximidade e inter-actividade com as pessoas que prezam e querem conhecer a minha opinião.

 

 

7. E quais são os principais desafios? Porquê?

A criatividade e primar pela originalidade e diferença com atenção sempre ao cunho pessoal.

 

 

8. Fale-me da loja online. A loja surgiu ao mesmo tempo que o blogue?Como se deu esse processo? Como é gerida a relação com as marcas? Como faz a selecção? São parcerias? Em que termos?

Não. A UP Boutique surge depois do blog.

A relação próxima com as pessoas, permitiu ser contactada mais facilmente por marcas e designers emergentes a nível nacional.

Descobri criadores que era obrigatório divulgar, pelo prazer de conhecer e reconhecer que há quem não desista, e que há mais pessoas a tornar os seus sonhos em realidade.

Pela qualidade, e impressão made in Portugal, que com tanto orgulho defendo.

Assim criei o conceito de divulgar, promover, e comercializar marcas portuguesas de designers e criadores emergentes, e criar parcerias com outros locais de venda. A selecção das marcas é feita por mim, e já começo a introduzir marcas internacionais dentro deste mesmo conceito.

 

 

9. A exposição pública e a proximidade com os leitores: como lida com essa fronteira?

 Naturalmente. Com respeito.

 

 

10. Na sua opinião, de que forma é que os blogues podem ser uma mais-valia para as marcas? Quais são as vantagens?

Como uma forma actual de comunicar o que é realmente pretendido utilizando uma nova e até mais imediata ferramenta, de maneira a atingir o público alvo.

Pessoalmente e segundo o que tenho vindo a responder nesta nossa conversa, até aqui a própria selecção de produtos ou marcas a inserir no blog, é criteriosamente realizada. Por isso, para mim, não é um negocio. Seria incapaz de promover algo em que não acredite.

É um espaço que vai muito além dos aspectos monetários.

Existem outros espaços, blog´s (o que queira chamar) que só são vocacionados para isso mesmo. Alguns até surgiram só para ser um reclame gigante, mas nunca foi esse o meu objectivo, eu preciso de histórias, de vida, de caminhos e de uma procura constante.

 

 

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>