Hoje, assumidamente, faço 41 anos.

img_20151013_225001

 

Antes de mais muitas desculpas pela ausência,  mas a 39a Concept Store tem roubado mais tempo do que aquilo que eu previa,  e infelizmente descuro este espaço, que tanto prazer me dá.

 

Volto com uma boa nova, acho que é o termo mais apropriado para o dia em questão.

Faço 41 anos.

Até aqui tudo fantástico, só que assumo que a soma, na idade, não me agrada de todo, mais parece multiplicação… Que confesso ainda me agradar menos.

Sinto-me como o miúdo que vai ser praxado,  e que não tem como fugir de tal infortúnio.

Por isso revelo algumas das coisas que tenho aprendido (mais e melhor) com esta nova duração rotulada na testa. A propósito de testa lembrei-me do tesla, o tal carrinho que anda sem gente lá dentro e que, por isso, se torna um paradoxo comparado com o passar dos anos. Pois os meus anos têm-me cada vez mais a conduzir, dentro de mim. Se gosto?

Descobri que não curto e não é fixe (com a consciência de que estes termos já não são utilizados), mas que já me é permitido dizer algumas asneiras quando me apetece (vou lá entender isto!!).

Descobri que já não posso comer o que me apetece, engordamos com qualquer tipo de ar, ao mesmo tempo que afinal percebes que adoras comer cada vez mais. E mais.

Descobri que para fazer exercício tem de ser acompanhada, a última vez a tensão ficou demasiado elevada, embora continue a achar que pode ter sido só naquele dia.

Descobri que as directas já não são para o meu ritmo cardíaco,  por isso, conto com umas palpitações ou taquicardias no dia a seguir. Mas pode ser só daquelas vezes.

Descobri que apesar de me chamarem de tia, não tenho prioridade na fila da casa de banho do Lux.

Descobri que na minha idade anda tudo à procura do seu EU interior, ora em astros, signos, mercúrio, flor de Lotus, Namastês, pingas de azeite, quando eu continuo a achar que não se encontra em elementos fora de nós, daqueles que dantes se dizia externos.

Descobri que tenho cada vez menos amigos, daqueles que realmente podemos contar, mas também que o amor dos que me são verdadeiramente próximos, não pára de aumentar. Olha rimou!!

Descobri que afinal trabalho mais do que quando era (mais) jovem e que tudo indica que vai continuar a ser assim durante grande parte da minha vida, isto para ser generosa e optimista e não dizer, toda a minha vida!

Descobri que a tolerância começa a ser escassa mas que comparativamente com o que assisto no dia a dia, sou muito mais tolerante, não só do que os outros como do que era há uns anos atrás.

Descobri que o tempo é demasiado rápido, e que não estou preparada para o acompanhar. Mesmo. Pior… Não quero (aqui sabia tão bem uma birra).

Descobri que posso não querer!! Muito importante.

Descobri que não me levo muito a sério, por questões de sobrevivência básica.

Descobri que me emociono mais, com pequenas coisas, momentos, músicas, sejam bonitas ou feias.

Descobri que não me ofendo rapidamente num mundo onde está tudo a aguardar por algo para se sentir ofendido.

Descobri que as pessoas não conheciam a minha gargalhada sonora e de alma.

Descobri que ainda tenho muito mais para descobrir.

Hoje, afinal, assumidamente, faço 41 anos. 🙂

 

Raquel

 

7 Comments
  1. Parabéns Raquel, acho que nos próximos anos vais confirmar tudo o que disseste 🙂 Mas isso é viver e é bom. O ideal era ter a cabeça que temos aos 40 com no corpinho dos 25, mas isso fica daqui para algumas gerações.

    Grande beijinho e que tenhas um ótimo dia e vida!

    Xana

  2. Parabéns, Raquel. Li o seu artigo com muita atenção e deparei m que nesta fase da vida, eu sinto que tenho 40 anos… Apesar dos meus futuros (entre dias) 36anos… Porra pós 40!!!

  3. I love you. In all honesty, you are a beautiful soul in this world – and I love you and appreciate you for it.
    People like you are the salt of the earth.

    Happy Birthday. Many more.

    With love,
    – A

  4. Cara amiga Raquel, primeiro lugar quero dizer que a admiro muito como mulher! É muito bonita, elegante e muito delicada. Li a sua entrevista na revista Lux e gostei muito. Vi que está com problemas em engravidar, não perca a esperança pois tenho uma filha que passou pela mesma situação, fez vários tratamentos em Portugal e não resultaram. Por último foi para Valência e aí sim , ficou grávida de três bébes. Experimente a lá ir á clinica Ivi, também já á cá em Lisboa mas não tem nada a ver minha querida. Peço desculpa por tudo isto.Mas era uma maneira de a ajudar, pois o que a minha filha passou e todos á sua volta. Beijinho

  5. Cara amiga Raquel, primeiro lugar quero dizer que a admiro muito como mulher! É muito bonita, elegante e muito delicada. Li a sua entrevista na revista Lux e gostei muito. Vi que está com problemas em engravidar, não perca a esperança pois tenho uma filha que passou pela mesma situação, fez vários tratamentos em Portugal e não resultaram. Por último foi para Valência e aí sim , ficou grávida de três bébes. Experimente a lá ir á clinica Ivi, também já á cá em Lisboa mas não tem nada a ver minha querida. Peço desculpa por tudo isto.Mas era uma maneira de a ajudar, pois sei o que a minha filha passou e todos á sua volta. Beijinhos

Leave a Reply

Your email address will not be published.