Até já Salvador

Olha Salvador,
Depois de teres conquistado tantos, vê se te oferecem um coração rápido.
Um coração enorme, feito de pequenos pedaços, de outros tantos, já tu tens e não é “despedaçado”.
É disso que se trata, dos corações, e tu bem que alertaste para que tomem conta deles.
Sabes, graças a ti, não é só visto como um órgão vital, mas um musculo nobre, com capacidades imensas. O teu faz das suas fraquezas, forças!

Tem uma sonoridade própria, mesmo sem a nossa língua, a de Camões.
Elucidar isso, é um feito raro (sabes quantos tentam por dia?). Até a ciência!!

Salvador, quanto à fama (que também não percebo bem o conceito) há aí aos kilos dela, sempre carregadada de máscaras, e há também outras toneladas de famosos que não percebo o que são. Felizmente que a tua fama (para não referir o indubitável reconhecimento do teu talento, que é incontornável e não tem nada a ver com a “fama” de hoje em dia) é de te expressares livremente.
De dizeres o que te dá na real gana. Com jovialidade, sentido de humor (de ti próprio, que é mais invulgar), e tudo isto, só porque sim! Porque te respeitas, que é também a base do respeito pelos outros.
E quando após reflexão, achas que foi excessivo, pedires desculpa.
Depois do coração, ainda explicas que neste sítio onde vivemos, as pessoas podem pensar pelas suas próprias cabeças, sem engolirem o que lhes é vendido? E já agora quando a merda acontece, é possível reconhecer que estamos errados. Apesar dos eternos ofendidos (esquece vão ser sempre assim), nunca é demais relembrar que é preciso respeito, para se ser respeitado.

Obrigada por provares que não cantas, o que apetece aos outros. Mas sim o que precisas de transmitir, de sentir. No lugar que te pertence, onde te fizeste, entre os sopros das notas.

Olha Salvador,
Vê se te oferecem um coração rápido.
Precisamos de pessoas como tu, que não são escravos de modas. E sem querer estar na “moda”.
Com apenas 27 anos já explicaste que os impossíveis são tangíveis. Que há sempre oportunidades. Até de viver outra vez.
Explicas-lhes isso outra vez? E outra, e outra, durante muitos anos.
O melhor de nós, agradece.

Até já

Raquel

 

Imagem: revista VIP

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>