Childish Gambino alertou-nos

Na ultima semana não se falou de outra coisa. O novo vídeo de Childish Gambino agarrou todas as atenções: pela qualidade, mas principalmente pela mensagem. São várias as referencias a episódios norte-americanos dos últimos tempos – não fosse o título da música “This is America”.

Num formato descontraído, o vídeo equilibra momentos de uma coreografia alegre, envolvida em cenas de violência brutal (uso de armas, danos físicos e homicídio). Uma clara referência à violência e conflitos raciais vividos nos Estados Unidos, que são, ao mesmo tempo, camuflados, romantizados e subestimados.

Porém, há pormenores que, à primeira vista, nos escapam:

 

As armas são mais valorizadas que as pessoas.

Logo nos primeiros planos, Glover (Childish Gambino), dispara sobre uma pessoa. A arma com que o faz é depois levada por um jovem bem vestido, num pano especial; o mesmo não acontece com o corpo do homem atingido, que é arrastado pelo chão. Cada vez que alguém é baleado no vídeo, este processo acontece.

Terrorismo como uma ameaça em crescimento.

Além destas primeiras cenas, existem outras que fazem referência a atos de violência extrema. A execução do coro pode ser uma replicação do Massacre de Charleston, em 2015. Aqui, Childish Gambino enfatiza que a morte por armas de fogo não é uma ocorrência única, principalmente quando se trata de negros.
Mas não fica por aqui: Antes do massacre, o coro canta “A avó disse-me / Pega no teu dinheiro, homem negro”, atribuído ao incentivo da religião à obsessão material.

Referência a Jim Crow.

Durante a era de Jim Crow, onde legalmente se aplicava a segregação racional no Sul, os trovadores eram comuns. Há uma grande semelhança entre a pose de Gambino no primeiro plano e um antigo cartaz de Jim Crow.

A dança. 

O vídeo inclui várias danças populares nos Estados Unidos e em toda a África. A referência aqui vai de encontro à ideia de que ao mesmo tempo que as pessoas adotam a cultura negra com alegria, fecham os olhos à violência que sobre ela é exercida.

Referências bíblicas. 

Na Bíblia, Apocalipse 6:8,9, lê-se: “E olhei, e eis um cavalo amarelo, e o que estava assentado sobre ele tinha por nome Morye; e o inferno o seguia; e foi-lhes dado poder para matar a quarta parte da terra, com espada, e com fome, e com peste, e com as feras da terra”.
De acordo com a escritura, o aparecimento de quatro cavaleiros significa que o apocalipse se aproxima. Enquanto Gambino está com os seus dançarinos, um cavalo branco e um carro da polícia aparecem no canto da imagem.

O lugar afundado.

Last but not least: A cena final mostra Glover a ser perseguido por pessoas caucasianas, sugerindo a intrusão da supremacia branca. Introduz a teoria do “lugar afundado”, em que as pessoas marginalizadas estão cientes da violência que as rodeia, mas são importantes.

Fala-se da importância da música na transmissão de mensagens. Falam-se de problemas reais.
Fala-se, também, de uma geração que mais do que música, se esforça por fazer conteúdos visuais que desafiem quem vê. Uma sociedade informada é uma sociedade evoluída (não discriminatória).

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.