Romper a história numa capa da Vogue – Beyoncé

Tinha que ser um tiro certeiro. Escolher a personalidade que iria assinar a capa do ano da Vogue – a de setembro de 2018. A data que celebra o inicio oficial do calendário de moda, introduzindo estilos e tendências para o novo ano. Rumores surgiam e o nome de Beyoncé foi um dos lançados ao ar. Confirmou-se.

A estrela falou por si e foi, ela própria, curadora deste feito. Escolheu Tyler Mitchell, de 23 anos, para fotografar, o que o torna o primeiro fotógrafo afro-americano a fazê-lo. Escolheu ainda optar por quase nenhuma maquilhagem, enfatizando a beleza natural.

beyoncé

beyoncé

 

Depois de qualquer capa da Vogue, o normal é surgirem entrevistas. Mas não desta vez. Miss Carter optou por partilhar uma coleção de ensaios curtos onde debitou sobre tópicos à sua escolha: a relação com o corpo, o que mudou com o nascimento dos filhos, etc.

Acho que é importante tanto para as mulheres como para os homens verem e apreciarem a beleza natural dos seus corpos. Sem efeitos. Foi por isso que decidi ter pouca maquilhagem e cabelo natural para esta capa. Depois de ser mãe, fiquei com braços, ombros, mamas e coxas mais largas. E não tenho pressa em me livrar disto. É real.

Temas como herança e ascêndencia são abordados nos ensaios. Não esquecer que Beyoncé fez recentemente história como a primeira mulher afro-americana a liderar o festival Coachella. Abriu-se uma porta.

beyoncé

beyoncé

Como mãe de duas meninas, é importante para mim que elas também se vejam – em livros, filmes, marcos importantes. É importante que elas se vejam como futuras CEOs, como chefes, como o que elas quiserem e que saibam que podem escrever os roteiros para as suas próprias vidas. É importante que sejam autênticas e não politicamente corretas.

 

Uma inspiração para todas nós enquanto mulheres, filhas, profissionais, mães.

Pode ler tudo aqui.

 

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.