5 Criativos que nos provam o que é ser original

O que é preciso para ser verdadeiramente único?

Há quem diga que, para sermos únicos, temos que quebrar as regras ou ter um forte senso de estilo pessoal. Outros dizem que temos que ser disruptivos em tudo o que fazemos. Pensar fora da tal “caixa” e fora de todos os eixos.

Numa época em que tudo é inspirado, ou até apropriado, de uma outra forma de inspiração, acredito que, para ser verdadeiramente original, é preciso ter-se visão. Isso. Uma perspetiva visionária sobre os demais detalhes. Uma perspetiva nossa.

Baseada numas entrevistas feitas pela W Magazine, encontrei personalidades que falaram comigo de uma forma ou de outra. Seja no ramo da moda, fotografia, arte ou música, estes criativos partilham a necessidade de se destacar, não por opção, mas por necessidade.

 

WILLOW SMITH

Cantora, atriz

original

 

Como descreverias um Original? A principal característica de uma pessoa original é a capacidade de pensar fora da caixa, manter-se firme e elevar os outros através do teu exemplo. Eu sempre me senti diferente. E às vezes sentia-me distante dos meus colegas porque estava interessada em coisas como o cosmos ou história desde muito nova. Eu falava sobre essas coisas e os pais dos meus amigos diziam aos meus pais que eu os estava a assustar. Então, passado um tempo, aprendi a diminuir o tom. Percebi que existem pessoas que aceitam originalidade e outras que têm medo do que isso pode significar nas suas vidas.

Quem achas que é original? Ani DiFranco. Octavia Butler, embora ela não esteja mais connosco. E os meus pais.

 

FRANCESCO RISSO

Diretor criativo da Marni  

original

 

O que é para ti a originalidade? A coisa mais original é a maneira como todos inventam sua própria versão da realidade, todos os jogos que criamos para nos mantermos ocupados, e depois partilha-lo com outras pessoas. Todas as formas de brincadeira, distração, construção e destruição …  A maneira como construímos e desconstruímos a realidade.

Descreve a originalidade em três palavras. A originalidade é subversiva. É um impulso e é raro.

Qual é o objeto mais original do seu apartamento? Um peso de papel dos testículos de meu parceiro Lawrence Steele fundidos em bronze pela artista Sarah Lucas.

Qual é a peça mais original do teu armário? As sobras de todas as roupas que eu corto e destruo todos os dias.

 

ALEX KATZ

Artista

original

 

Existe um momento ou um trabalho em particular que consideras ser a tua inovação criativa? As pessoas dizem que foi quando eu comecei a fazer figuras em terreno plano. Willem de Kooning gostava. Philip Guston ligou-me. Robert Rauschenberg e Jasper Johns  ligaram-me. Eu fiquei em choque. Os poetas também gostaram do meu trabalho. Eles eram todas pessoas brilhantes, isso fez-me sentir bem. Mas também recebi muitas críticas negativas. Bob Hughes [na altura crítico de arte da Time] irritou-me verdadeiramente – ele chamou-me de Norman Rockwell da intelligentsia. Mas o pior foi Hilton Kramer, crítico de arte do The New York Times, que me disse que me perdi e que costumava ser um bom pintor e estava em declínio moral. Liguei para minha mãe e ela disse: “Oh, finalmente alguém interessado em ti”.

O público foi negativo? Quando eu mostrei minha primeira pintura numa galeria avant-garde, um artista mais velho veio até mim e disse: “A figuração é obsoleta”. Eu apenas disse: “Ótimo”. Já tive duas vezes pessoas a gritar no meio da galeria: em Provincetown, em 1960, e em Paris, em 1975. Fiquei envergonhado, então disse aos galeristas: “Jesus, achei que as minhas pinturas eram agradáveis. Peço desculpa.” Eles disseram: “Não, foi por isso que te trouxemos para cá”. Eles estavam a tentar envolver o público.

 

LUCIA PICA 

Designer criativa de maquilhagem e cor na Chanel

original

 

Quem é o teu ícone de beleza? Sou atraída por mulheres que têm força de caráter. Quer se trate de bondade, confiança, inteligência, mistério… Não se desculparem pelo que são. A força dos olhos e da voz de Monica Vitti inspiram-me. Ou a beleza perfeitamente incomum de Isabella Rossellini.

Qual a pior tendência de beleza em que participaste? Eu arranjava as sobrancelhas muito finas nos anos 90. Como uma linha. Foi realmente triste.

Qual é a tua skill secreta? Às vezes gosto de pintar pequenas aguarelas simples, mas não sei se é uma habilidade – é apenas um interesse. Gosto muito porque é a tinta que, por vezes, nos direciona e perdemos o controlo. Às vezes até segue seu próprio caminho, literalmente , e tenho apenas que tentar contornar isso. Mas eu não sou especialista!

 

MARTINE GUTIERREZ

Artista

original

Trabalhas com manequins nas tuas sessões. Qual é o apelo? Eu cresci a adorar bonecas. Os manequins aumentaram a aposta. Eu acho que eles serviram como uma maneira de eu me sentir mais confortável. Eu não me precisava de preocupar com o que a outra pessoa estava a sentir, ou mesmo com meu próprio desconforto numa narrativa íntima.

Originalidade significa ir a um lugar totalmente diferente? Uma parte de mim quer tirar a minha imagem do meu trabalho. Sinceramente, sinto que o pior que pode acontecer é eu ficar “pregado” a algum lado  – como alguém que coloca um alfinete em mim e eu fico para sempre num moodboard.  Este trabalho não pode ser o meu melhor trabalho.

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.